Pular para o conteúdo principal

Retomada da confiança em todos os setores industriais


Em agosto, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) cresceu em 28 dos 30 setores da indústria considerados na pesquisa. O ICEI da indústria de transformação atingiu 57,5 pontos, após salto de 8,4 pontos na comparação mensal. 

Trata-se do quarto aumento consecutivo do índice, que acumula alta de 23,2 pontos desde a forte queda de abril. Tendo ultrapassado a linha divisória dos 50 pontos, o índice agora aponta que o empresário do segmento retomou a confiança em agosto. 

Em 24 dos 26 setores da indústria da transformação considerados a confiança apresentou aumento no mês. Deve-se ressaltar, contudo, que em todos os setores o ICEI se situa acima dos 50 pontos, indicando confiança por parte dos empresários. O ICEI da Indústria da Construção alcançou 54 pontos, após crescimento de 7,7 pontos em agosto. 

É a quarta alta consecutiva do índice, que acumula crescimento de 19,2 pontos entre maio e agosto. Todos os três setores da Construção considerados registraram aumento do indicador, e, com o resultado de agosto, passam a se situar acima da linha divisória, que separa a falta de confiança da confiança.

O ICEI da Indústria Extrativa cresceu 3,4 pontos no mês, atingindo 57,2 pontos. Os empresários desse segmento industrial já estavam confiantes em junho e, desde então, o ICEI da Indústria Extrativa vem se afastando da linha divisória, mostrando confiança crescente e mais disseminada desses empresários.

Confira na íntegra o documento:

https://bit.ly/3lD0E5N

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

LGPD: governo e iniciativa privada defendem tratamento diferenciado para PME.

  Em meio ao desafio de o país regulamentar a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), o setor produtivo e o governo federal têm trabalhado juntos para garantir que as micro e pequenas empresas (MPEs) não percam competitividade com exigências desproporcionais. Em entrevista à  Agência CNI de Notícias , a subsecretária de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas, Empreendedorismo e Artesanato na Ministério da Economia, Antônia Tallarida Martins, reforça também a urgência de a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) criar regramento transitório que dispense as MPEs de certas obrigações estabelecidas na LGPD.     Para a subsecretária, as MPEs devem ser liberadas de indicarem um controlador de dados, da necessidade de elaboração de um relatório de impacto e da necessidade de registrar as operações de tratamento de dados. Estudo elaborado pela  Confederação Nacional da Indústria (CNI)  reforça que determinadas exigências, se aplicadas às MPEs, podem inviabilizar o negócio d

Faturamento da indústria cresce 8,7% em janeiro, diz CNI

A atividade industrial brasileira fechou janeiro de 2021 em um nível mais alto do que o registrado em janeiro de 2020, segundo os Indicadores Industriais divulgados hoje (4) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O levantamento destaca a alta de 8,7% no faturamento do setor, e a alta de 6,7% nas horas trabalhadas na produção. A capacidade instalada registrada em janeiro de 2021 ficou em 79% – número que é 2,2 pontos percentuais acima do que foi registrado no mesmo mês de 2020. De acordo com a CNI, “todos os índices de janeiro deste ano mostram alta na comparação com o mesmo mês de 2020”. O indicador emprego industrial teve um aumento de 0,1% tanto na comparação com janeiro de 2020 como dezembro de 2020. Já a massa salarial cresceu 0,5% em janeiro, na comparação com janeiro do ano passado, e de 5% na comparação com dezembro. O rendimento médio dos trabalhadores teve um aumento de 0,4% na comparação com janeiro de 2020, e de 5,6% frente a dezembro do mesmo ano. “A ativi

A indústria é o motor da economia brasileira

  O setor industrial nunca foi tão vital para a economia brasileira. Com a crise desencadeada pela pandemia do coronavírus, o país sentiu como o setor consegue inovar, assimilar tecnologias e desenvolver produtos.    Graças à indústria, todos os outros setores são fortalecidos. E é ela a responsável por gerar empregos indispensáveis para a retomada econômica. Importância da indústria para a economia Um país do tamanho do Brasil não consegue ser sustentável sem uma indústria forte e competitiva. A indústria é o principal polo gerador de tecnologia e de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) para o sistema produtivo de uma maneira geral, desempenhando um papel estratégico no fortalecimento de todos os demais setores brasileiros.  Abaixo alguns exemplos de como a indústria contribui para o desenvolvimento da economia nos mais variados segmentos:  •    Mecanização e uso de colheitadeiras na área agrícola, desenvolvimento de sementes mais produtivas e defensivos agrícolas